ESTUDOS DIRIGIDOS 31 – Série: As Bem aventuranças. “Bem aventurado os humildes de espírito” 2º Estudo

Texto: Mateus 5:1-12

Introdução: – Hoje falaremos sobre os humildes de espírito, mas o que vem a ser uma pessoa humilde de espírito? O humilde de espírito é aquele que reconhece que nada tem, nada pode e nada é. Ao se deparar com o Senhor, tem consciência do seu estado espiritual. Trata-se da dependência interior, que reconhece o Senhorio de Cristo. A riqueza, orgulho e arrogância muitas vezes impedem pessoas de desfrutar do privilégio da dependência de Deus. Mas Jesus está dizendo que os cidadãos do reino de Deus são felizes em se submeter ao domínio de Cristo.

Para Refletir: Você se considera uma pessoa humilde de espírito? A imagem que quero apresentar para ilustrar é a de um mendigo, que normalmente possui a roupa do corpo e alguns trapos, ele depende totalmente das ações bondosas do outro. Assim é o pobre de espírito. Quando está diante de Deus, olha para si e percebe que não tem nada e depende totalmente da ação de Deus em seu favor.  Ser pobre de espírito não é uma questão de opção e sim de constatação. Quando se está diante da riqueza da glória de Cristo, não a outra coisa a fazer a não ser nos recolhermos em humildade.

Na Prática: 1º Centralize Cristo no seu coração. Leia Mateus 6:21 – Não há pecado em ser rico materialmente, o problema é quando coloco o amor aos bens e a segurança da minha vida em primeiro lugar. Um grande exercício que devemos fazer é de constantemente resgatar a centralidade de Cristo no nosso coração. Jesus sempre precisa ser a motivação que nos leva a tomar nossas decisões. A nossa riqueza é Cristo. 2º Tenha um encontro diário com Jesus em oração – Leia Mateus 6:9-13 –Uma das formas de externarmos a humildade ou reconhecimento da nossa dependência de Cristo é diariamente separarmos um tempo para a oração. A oração diz muito sobre como está nossa humildade espiritual. Existe uma prática que infelizmente é muito comum na sociedade: “eu só busco a Deus quando estou precisando de alguma coisa”. Essa forma de agir não deve ser uma realidade para nós cristãos, pois a oração nos coloca no lugar correto, a dependência do relacionamento com Cristo. 3º Duas evidências exaltadas pela humildade de espírito.

  • A verdadeira humildade exalta o próximo, Filipenses 2.3-4 – A humildade nada mais é do que a manifestação plena e perfeita do amor cristão, que é amar ao próximo como a si mesmo ao invés de preocupar-se egoisticamente só com seus próprios interesses, Mateus 23.12.
  • A verdadeira humildade exalta a graça de Deus, I Co 15.9-10. – A verdadeira humildade confere à graça de Deus o devido valor quando esta transforma vidas e atitudes.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *