Os 5 Solas da Reforma Protestante – Introdução

Introdução

Os 5 Solas da reforma protestante não é um assunto inédito, esses 5 solas estão embutidos nas pregações, nos estudos, na doutrina, mas é a primeira vez que que vamos tratar especificamente sobre esse assunto nesses 12 anos na nossa comunidade de fé.

E o que são os 5 solas?

São os 5 princípios básicos da reforma protestante. E Porque ficaram conhecidos por “5 solas”? por causa das 5 frases que intitulam esses princípios e também porque foram escritos em latim, o Inglês da época.

Que frases são essas?

Sola Gratia, Sola Fide, Sola Scriptura, Solus Christus e Soli Deo Gloria. A palavra latina “sola” significa “somente” em português. Traduzindo: Somente a graça, somente a fé, somente a escritura, somente Cristo e somente a Deus a glória.

Os cinco solas sintetizam, a profissão de fé, ou seja, os credos teológicos básicos dos reformadores, nos quais criam ser essenciais da vida e prática cristã naquela época. As 5 doutrinas que mais precisavam ser revisitadas, porque tinham sido deixadas de lado pela Igreja Católica Apostólica Romana, ou seja, todos os 5 sola implicitamente se contrapõem aos ensinamentos da então dominante Igreja Católica Apostólica Romana, a qual estava, segundo os reformadores, abusando da sua autoridade, usurpado atributos divinos para a Igreja e sua hierarquia, especialmente seu superior, o Para.

Pré reforma

Então os 5 solas são resultado da reforma que aconteceu no século 16.

A Reforma Protestante foi um movimento reformista cristão culminado no início do século XVI por Martinho Lutero, quando através da publicação de suas 95 teses, em 31 de outubro de 1517 na porta da Igreja do Castelo de Wittenberg, protestou contra diversos pontos da doutrina da Igreja Católica Romana, propondo uma reforma ao catolicismo romano.

Esse marco foi, na verdade, a cereja do bolo, a história relata protestos de cunho reformista muito anteriores que seria uma pre reforma.

1º lugar, houve também um desacordo dentro da Igreja católica que ficou conhecido na historia como o grande cisma, século 11, que deu origem aos católicos ortodoxos, por questões doutrinarias.

2º lugar temos, no seculo  12, Pedro Valdo (1174), que já propunha uma bíblia na língua popular, separação entre igreja e estado, rejeitavam o culto a imagens, rejeitavam a supremacia da igreja Romana (a autoridade do lideres da igreja acima da autoridade das escrituras).

3º lugar temos, um período chamado de papado de Avinhão, quando a residência do papa foi alterada de Roma para Avinhão, parte do século 13 e 14. Por causa de disputa pelo poder politico entre o rei da frança e o papa.

4º lugar temos, no seculo 15, conhecido como um dos precursores da reforma, John wycliffe. Ele atacava a incompatibilidade da vida simples dos apóstolos e o poder politico dos papas. Defendia a separação entre igreja e estado.

Todos esses fenômenos anteriores à reforma contribuíram para um enfraquecimento da Igreja Católica e serviu de impulso para os reformadores.

Reforma

Então no século 16 Lutero abraçando as ideias dos pre reformadores, prega sermões contra as indulgencias, levanta suas 95 teses contra a igreja católica, isso aconteceu numa época em que a imprensa estava surgindo, isso contribuiu para a expansão da ideia pelo mundo, as 95 teses foram traduzidas para o alemão, impressas e rapidamente se espalharam pelo Europa. Isso gerou uma revolta ideológica contra a igreja como também uma revolta armada. Você imagine um povo despenado pelo estado com impostos e por outro lado despenado pela igreja com indulgencias, somado a isso temos teólogos de dentro da Igreja afirmando que o quê a igreja estava fazendo estava errado.

Temos Lutero na Alemanha, João Calvino na suíça, Ulrico Zuínglio na França dentre outros.

Na Inglaterra o rei Henrique 8º, viu uma oportunidade para um golpe de estado, a igreja na Inglaterra se separou da igreja de Roma e se tonou a igreja Anglicana como se fosse uma media entre o catolicismo e o protestantismo.

Contra reforma

Foi uma tentativa da igreja católica de evitar que as ideias reformadoras encontrassem divulgação em Portugal, Espanha ou Itália (países católicos em geral) através de inquisição, censura e perseguição.

Conclusão

Queria lembrar que os reformadores eram católicos e que a intenção deles nunca foi de causar divisão ou romper com a Igreja Católica, mas como o próprio nome diz, eles queriam uma reforma, ou seja, consertar aquilo que estava errado, se reaproximar da doutrina bíblica. No entanto, os lideres da Igreja Católica, por não aceitarem as propostas, inevitavelmente levaram a igreja ao rompimento.

E hoje em dia, infelizmente, temos visto muitas denominações, que são braços do protestantismo, trilhar os mesmos caminhos da Igreja Católica na idade média, se afastando cada vez mais do evangelho, se afastando da doutrina bíblica, chegando ao ponto de cobrar as mesmas indulgencias que foram motivo para a reforma a 500 anos atrás.

Os 5 solas da reforma são princípios que devem ser mantidos e celebrados pelas denominações que se mantêm reformadas e revisitados pelas denominações que tem se afastado destes princípios.

 


Edicarlos Godinho

 

Referências:

https://pt.wikipedia.org/wiki/Reforma_Protestante