ESTUDOS DIRIGIDOS 46 – 8° ESTUDO – SÉRIE: SERMÃO DO MONTE – TEXTO BASE: MATEUS 5: 43-48

ESTUDOS DIRIGIDOS 46

8° ESTUDO – SÉRIE: SERMÃO DO MONTE – TEXTO BASE: MATEUS 5: 43-48

INTRODUÇÃO: Você não é obrigado a gostar ou a admirar a absolutamente ninguém, mas você tem a obrigação Cristã de AMAR a todos. Ao corrigir os princípios distorcidos da tradição dos anciãos, Jesus ordena a AMAR e ORAR pelos inimigos e perseguidores, Ele nos exorta que respondamos ao ódio com amor. Amar é querer o bem, ajudar, reconhecer que todas as pessoas, não só os amigos, são objeto do Amor de Deus. Esse é o amor perfeito que provém de um Deus perfeito, que supera o ódio natural que deveríamos sentir pelos nossos inimigos. Essa situação nos ajuda a entender e ver no amor aos adversários, uma das características mais peculiares aos discípulos de Cristo. Amar assim é condição para ser considerado filho do Pai Celeste.

PARA REFLETIR: Essas palavras contundentes de Jesus revelam duas formas de se viver: A primeira é a dos que se comportam naturalmente, que agem em relação aos outros em função da maneira como eles os tratam, sua reação é de fato uma reação. O segundo modo de viver não põe em primeiro lugar um grupo de homens, mas sim o próprio Deus. Deus não reage de acordo com a maneira como O tratamos; ao contrário, “Ele é bom até para os ingratos e os maus” Leia Lc 6:35. Jesus ensina que Deus não se deixa condicionar pela maldade, Ele sempre está pronto a perdoar. O grande desafio do Evangelho é que devemos agir como Deus age. Leia Lc 6:36. É impossível a nós, por nossas próprias forças, cultivar um amor assim. Nenhuma ordem exterior torna isso possível, só a presença de Cristo que é o amor divino em pessoa.

NA PRÁTICA: Seja um filho do Pai Celeste. Produza frutos da Justiça Divina, ande, pense e aja como um filho de Deus. Não reaja às pessoas, mas aja segundo o Espírito Santo que habita em você, cultive o fruto do Espírito. Leia Gl 5:22,23. ““Seja” perfeito como perfeito é o vosso Pai Celestial”. A ideia aqui não é oferecer uma aparência de perfeição aos homens, algo que seria hipocrisia uma vez que somos pecadores e maus por natureza. A ideia é estar aberto ao aperfeiçoamento operado pelo Espírito Santo em nossa jornada Cristã. Leia I Pe 1:15,16. Nesse sentido o ser humano não é perfeito, mas perfectível, ou seja, é um ser aberto à ação transformadora de alguém maior que ele, exterior a ele. “Ser espiritual é cada vez mais ser humano” e nesse sentido nossa real humanidade está em Cristo.  

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *