Conectando – Estudo 5 – Batismo e Ceia

Leitura Bíblica:  Ide, portanto, fazei discípulos de todas as nações, batizando-os em nome do Pai, e do Filho, e do Espírito Santo. Mt. 28:19

O Senhor Jesus instituiu, segundo crêem todos os protestantes, só duas ordenanças ou dois sacramentos para sua igreja: O Batismo e a Ceia (Mt. 28:18-20; Lc. 22:19,20; 1 Co. 11:23-26). Há ainda outros cinco que talvez você tenha ouvido falar sobre eles: confirmação, penitência, ordenação, matrimônio e extrema unção. Estes foram intro­duzidos pela Igreja Católica no Concílio de Trento (1545-1563).No Antigo Testamento havia dois sacramentos: a circuncisão e a Páscoa, que são os correspondentes do Batismo e Santa Ceia no Novo Testamento.

 Batismo

“O batismo é a ordenança ou o sacramento no qual o lavar com água em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo, sig­nifica e sela a nossa união com Cristo, a participação das bênçãos do pacto da graça e a promessa de pert­encermos ao Senhor” (Breve Catecismo, pergunta 94).

O batismo é um símbolo. Um símbolo é alguma coisa material a qual se dá um significado espiritual. Água é um símbolo de purificação (Jo. 3:5; 7:38). Tratando-se do batismo cristão a água é, no dizer de Ago­stinho (um teólogo do século IV), um sinal visível de uma graça invisível. Essa água não contém em si mesma qualquer virtude milagrosa ou sobrenatural para fazer do pagão um cristão. O poder regenerador não está na água, mas na ação do Espírito Santo.

Batismo é uma instituição divina, ordenada pelo Senhor Jesus, após haver terminado o trabalho de reconciliação e depois de haver recebido a aprovação do Pai na ressurreição. (Mt. 28:18-20; Mc. 16:15,16). No batismo a pessoa batizada é simbolicamente introduzida ‘no nome de Cristo’, isto é, torna-se seu discípulo, ou seja, entra num estado de lealdade a Ele e de comunhão com Ele.

Os chamados “pais primitivos” consideravam o batismo como o rito de iniciação na Igreja, e normal­mente o consideravam como estreitamente ligado ao perdão de pecados e à comunicação da nova vida.

O Batismo pode ser administrado de duas maneiras:

-Por Imersão- os imercionistas crêem que o indivíduo tem que ser mergulhado na água.

-Por Aspersão- os efusionistas crêem que a água deve ser aspergida sobre o indivíduo.

 Observação: Em nossa comunidade adotamos o batismo por imersão, mas concordamos que o batismo por aspersão é coerente e bíblico mesmo porque há situações onde se torna impossível o batismo por imersão.

Porque devemos receber o Batismo?

    • Por que foi um mandamento de Jesus para testemunhar nossa pública confissão de fé. (Mt.28:19)

Como saber que uma pessoa já pode ser batizada?

  • Quando demonstra externamente uma realidade operada internamente pelo Espírito Santo, precedido por ações como:

– Crer em Jesus. (At. 8:36-38)

– Confissão de pecados.(Mt.3:6)

– Testemunho de vida e pelos frutos. (Mt.7:16-23)

Ceia do Senhor

“A Ceia do Senhor é uma ordenança, um sacramento no qual, dando-se e recebendo-se pão e vinho, conforme a instituição de Cristo anuncia-se a sua morte; e aqueles que participam dignamente tornam-se, não de uma maneira corporal e carnal, mas pela fé, participantes do seu corpo e do seu sangue, com todas as suas bênçãos para o seu alimento espiritual e crescimento em graça”.

Há quatro diferentes narrativas da instituição da Ceia do Senhor, uma em cada um dos evangelhos sinóti­cos (Mateus, Marcos e Lucas), e uma em I Coríntios 11. A nova ordenança estava ligada ao elemento central da refeição pascal. O pão e o vinho foram substituídos em simbolismo pelo corpo e sangue de Jesus.

 Os significados da Ordenança

Uma das características da ordenança é que ela representa uma ou mais verdades espirituais mediante sinais perceptíveis e externos.

  1. a) É uma representação simbólica da morte do Senhor.
  2. b) Simboliza também a comunhão do cristão com o Cristo crucificado.
  3. c) Representa não somente a morte de Cristo como objeto de fé, mas também o efeito desse ato, dando vida e fortalecendo a alma.
  4. d) Simboliza a união dos crentes uns com os outros.

Os selos da Ordenança da Ceia

 A Ceia do Senhor não é apenas um símbolo, mas também um selo. Um selo que nos leva a relembrar o sacrifício de Cristo para nos oferecer o perdão que nos trouxe reconciliação com Deus (Ef. 2:12,13). A Ceia do Senhor nos lembra também de que o sacrifício de Cristo derrubou os “muros” que nos separavam do nosso próximo. Portanto, na Ceia somos lembrados que podemos e devemos ter comunhão com Deus e com os irmãos.

  1. a) Sela para o participante, o grande amor de Cristo.
  2. b) Assegura ao participante as promessas da aliança.
  3. c) Garante ao participante que as bênçãos da salvação são suas.
  4. d) Um selo recíproco.

Quem pode participar

 Quando Paulo escreveu sua primeira carta aos coríntios (11:28-30), deixou orientações sobre a participação na Ceia. Segundo ele, somente os que sabem discernir o Corpo podem participar da Santa Ceia e rece­berem dela os benefícios que ela concede. O corpo aqui não é nosso corpo físico, mas o Corpo de Cristo, ou seja, a Igreja.

Quem ainda não foi inserido na Igreja de Cristo (a invisível), não consegue entender o real significado dela, não consegue entender a missão da Igreja. Enfim, quem não faz parte do Corpo, também não deve co­mungar da Ceia, que uma das maiores expressões da comunhão do Corpo com sua Cabeça.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *