ESTUDOS DIRIGIDOS 42 – 4° ESTUDO – SÉRIE: SERMÃO DO MONTE – TEXTO BASE: MATEUS 5: 21-26

ESTUDOS DIRIGIDOS 42

4° ESTUDO – SÉRIE: SERMÃO DO MONTE – TEXTO BASE: MATEUS 5: 21-26

INTRODUÇÃO: Após confirmar a lei, Jesus passa a ensinar uma justiça que excede a dos escribas e fariseus, Ele cita o Sexto Mandamento Êx 20:13 e resume a pena por sua transgressão Êx 21:12; Lv 24:17. Jesus compara o ódio ao assassinato, quem odeia o seu próximo diante de Deus já pecou, mesmo que esse ódio não seja exteriorizado em uma ação ofensiva.

PARA REFLETIR: Fica evidente que a intenção do coração equivale à ação e Jesus levou essa questão para um nível mais profundo. Muitas vezes, o propósito das palavras ásperas é despertar sentimentos negativos na vítima. A lição de Jesus foi: “Não apenas aqueles que matam são culpados de assassinato, mas também os que falam palavras rudes estão sujeitos ao inferno”. Jesus invoca a imagem do ‘Vale de Hinom’, um vale profundo ao sul de Jerusalém, que se tornou o local onde era depositado todo o lixo, carcaças de animais e até os corpos de criminosos executados para serem queimados. O fogo e a fumaça constantes, além dos vermes e o forte odor, criaram o símbolo do castigo eterno.

NA PRÁTICA: Assassinar é algo que se faz concretamente, o que leva ao julgamento perante os homens, mas rancor é algo que se faz no coração e tribunal humano algum julga alguém por ter ficado irado. A ira se torna pecado quando é sem um motivo justo ou se prolonga além do necessário. Leia Ef 4:26. Jesus, contudo diz que até aquilo que se faz no coração será levado a julgamento diante de Deus. Ele nos ensina que não adianta dizer que amamos a Deus com nossa adoração, se não estivermos bem com nossos irmãos. Leia 1ª Jo 3:15. Jesus está dizendo que não podemos ofender Leia Mt 5:22. Ele está dizendo que devemos buscar a paz. Leia M 5: 23, 24. Jesus nos exorta a tomar a iniciativa e nos reconciliarmos antes de ir para o altar prestar nosso culto, Deus não aceita culto e ofertas de quem guarda ódio ou mágoas no coração. Amados irmãos, nosso maior valor é a comunhão! Jesus não se sacrificou para que tivéssemos um belo prédio, mas sim para que tivéssemos uma bela comunhão com Deus e uns com os outros. Portanto, façamos todo esforço necessário para vivermos em paz e harmonia, em sublime comunhão e afeto, relevando as ofensas, perdoando e promovendo o perdão.

ESTUDOS DIRIGIDOS 40 SÉRIE: 2º ESTUDO – SÉRIE: SERMÃO DO MONTE

ESTUDOS DIRIGIDOS 40

2° ESTUDO – SÉRIE: SERMÃO DO MONTE – TEXTO BASE: MATEUS 5: 14, 16
INTRODUÇÃO: A função da luz é revelar, evidenciar, porém, para que nossa luz brilhe, primeiro precisamos que a luz de Deus brilhe sobre os lugares escuros do nosso coração, trazendo à tona todo pecado oculto e toda impureza escondida. Esse é um processo doloroso. Enxergar verdades a nosso respeito é um dos mais difíceis exercícios da alma, Deus traz à luz o que precisa ser transformado para que a luz que há em nós seja a expressão d’Ele próprio. Leia Jo 8:12, isso significa que aquele que anda iluminado por Cristo expressa vida. Leia II Co 4:6.
PARA REFLETIR: Nossa luz procede de Cristo, uma vez iluminados devemos cumprir o propósito para o qual Deus fez brilhar a luz de Cristo em nós. Por isso Jesus é tão enfático ao dizer que o cristão não pode se esconder, assim como não se pode esconder uma cidade sobre uma montanha, isso fala da visibilidade inata aquele que professa O Nome de Cristo. Jesus também toma emprestado o uso simbólico da palavra “alqueire” com a ideia básica de tirar o que está oculto debaixo, o que está no interior para demonstrar que o tesouro do Evangelho tem uso próprio e não deve estar oculto, restrito a sociedades ou grupos, mas deve estar visível, disponível. Isso fala da acessibilidade a Cristo por meio de Seus discípulos.
NA PRÁTICA: Como ser luz? Leia e medite na Palavra de Deus Leia Sl 119:105. Ore a Deus e peça um olhar bom, santificado, rejeite todo tipo de travas em sua vida Leia Lc 11:34. Viva a vocação cristã de ser sacerdócio real e santo, pois fomos retirados das trevas. Leia IPe 2:9. Procure, através de uma vida piedosa mostrar a luz de Cristo aos homens. Influencie o meio em que você atua através da luz do Evangelho. Ilumine o mundo que está em trevas com a luz da Palavra que está em você.

ESTUDOS DIRIGIDOS 38 – SÉRIE: As Bem Aventuranças. “Bem aventurados os perseguidos por causa da justiça, porque deles é o reino dos céus.” 9° ESTUDO

ESTUDOS DIRIGIDOS 38

9° ESTUDO – SÉRIE: As Bem Aventuranças.  “Bem aventurados os perseguidos por causa da justiça, porque deles é o reino dos céus.”

TEXTO BASE: MATEUS 5:10-12

INTRODUÇÃO: Chegamos ao fim de nossos estudos sobre as bem aventuranças e hoje veremos a última característica do viver cristão citada por Jesus em Seu sermão. Em tempos de relativização da verdade e do uso de expressões politicamente corretas, segundo o padrão do mundo, todo cristão piedoso se vê eventualmente injuriado, perseguido ou caluniado por defender sua fé, os princípios e valores do reino dos Céus.

PARA REFLETIR: Após ensinar sobre a pacificação, Jesus nos alerta sobre a perseguição por causa do nosso relacionamento com Ele. Por mais que nos esforcemos para promover a paz, há pessoas que se recusam a viver em paz conosco, não por causa de nós, mas porque odeiam a justiça e rejeitam a Cristo. Hoje se fala sobre algumas questões sociais com grande ênfase. Ideologias que defendem as questões de gênero, o aborto, a homoafetividade, a descriminalização das drogas, procuram se legitimar através da vitimização. Todas essas frentes ideológicas reclamam ser vítimas de perseguição por suas convicções e elegem o que chamam “padrões ultra conservadores” como os inimigos de suas verdades. Os cristãos sempre viveram sob essa tensão. Ao defender os princípios e verdades eternos confrontam o modus vevendi de um mundo corrompido pelo pecado. Os cristãos piedosos de nossos dias sofrem a mais cruel e sangrenta perseguição de todos os tempos. Infelizmente isso não sai nos jornais. Os dias são maus.

NA PRÁTICA: Leia Mt 10:16 – Não perca sua pureza cristã e a simplicidade do Evangelho, mas proceda com prudência. Não se meta em discussões político ideológicas, não se sinta ofendido ou ameaçado por quem pensa e age diferente de suas convicções. Lembre-se que o mundo está morto em seus pecados e um morto não pode ouvir nem mudar de direção. Ore para que o Espírito Santo ilumine essa pessoa com as verdades eternas do Evangelho. Não critique, ore! Não confronte com palavras, confronte com um modo de vida santo. Leia Jo 15:18 –  o ódio aos cristãos é precedido pelo ódio que o mundo nutre a respeito de Cristo. Leia Jo 10:22-28 – Se sua piedade, amor e seu relacionamento de íntima comunhão com Cristo e os irmãos tem atraído perseguições se alegre e exulte. Leia Rm 1:16 – Não tenha vergonha de sua fé, não se omita em relação às verdades do Evangelho, nunca perca a oportunidade de fazer conhecido o Nome de Cristo. Leia Ef 5:16. Tenha a sublime convicção de que seu futuro será glorioso em Cristo Leia Mt 5:12.

ESTUDO DIRIGIDO – 37 -SÉRIE: As Bem Aventuranças. “Bem aventurados os pacificadores, porque serão chamados filhos de Deus.” TEXTO BASE: MATEUS 5:9 – 8° ESTUDO

ESTUDO DIRIGIDO –  37

8° ESTUDO – SÉRIE: As Bem Aventuranças.  “Bem aventurados os pacificadores, porque serão chamados filhos de Deus.” TEXTO BASE: MATEUS 5:9

INTRODUÇÃO: A paz nos parece ser algo distante, inalcançável. Calcula-se que nos últimos 3.500 anos o mundo teve cerca de 300 anos de paz. Após o atentado às Torres Gêmeas nos EUA em 11 de Setembro de 2001, o mundo viu sua expectativa de paz fracassar mais uma vez. Na verdade, nos últimos quinze anos houve um aumento considerável nas tensões mundiais com contornos dramáticos, com uma nova escalada nuclear do Irã e da Coreia do Norte, guerra civil na Síria e atentados terroristas ao redor do mundo com motivações no fundamentalismo religioso.

PARA REFLETIR: Nunca foi tão necessária à ação dos pacificadores em nosso mundo, mas quem são os pacificadores? Os pacificadores são aqueles que confiam e reconhecem que Deus está soberanamente no controle, leia Isaias. 26:3. Jesus não comete erros e nem diz: Opa! Tudo que acontece em nossa vida se encaixa no plano divino e essa confiança gera em nosso interior uma sublime paz mesmo em meio à adversidade. A paz advinda dessa certeza nos habilita a sermos aqueles que semeiam a paz. Ninguém pode dar aquilo que não tem leia João 14:27. Só pode ser pacificador aquele que desfruta da paz que vem de um relacionamento em santidade com Jesus. Quem reflete essa paz será chamado filho de Deus, leia Colossenses 3:15.

NA PRÁTICA: Complete: – Estou a ponto de… – Estou no fim das minhas…  – Sou apenas um punhado de… – Minha vida está… – Não sei mais o que…  Se você completou a maioria das frases com alguma consideração negativa você é um especialista em falta de paz, leia Filipenses 4:6 e 7. Reveja seu relacionamento com Cristo, pois os filhos de Deus não só desfrutam de paz interior como também promovem a paz. Hernandes Dias Lopes afirma: “…quando agimos como pacificadores é que somos reconhecidos como filhos de Deus”. Leia Salmos 29:11.

ESTUDOS DIRIGIDOS 36 – Série: As Bem Aventuranças. “Bem aventurados os limpos de coração, porque verão a Deus.” 7º Estudo

ESTUDOS DIRIGIDOS 36

Série: As Bem Aventuranças. “Bem aventurados os limpos de coração, porque verão a Deus.” 7º Estudo

Oração:

Texto: Mateus 5:8

Introdução: Chegamos à sexta bem-aventurança. Observe que
ninguém pode ter um coração limpo sem antes cumprir os preceitos anteriores ensinados por Jesus: ser pobre de espírito; chorar; ser manso; ter fome de justiça; ser misericordioso. Jesus está falando de uma pureza interior, uma santidade íntima que só se alcança nesse processo de aprendizado e prática relacional com Ele. Os limpos de coração são aqueles que têm autentica transparência de alma, que confiam plenamente nas misericórdias de Deus e não em suas próprias forças.

Para Refletir: Há aspectos complementares a serem observados no ensino de Jesus. Os limpos de coração sabem que usufruem do perdão concedido pelo Pai, não tocam trombeta quando dão suas esmolas, não oram em pé nas praças para serem vistos dos homens, não jejuam e depois se apresentam com o rosto desfigurado para impressionar as pessoas. Humildade, sinceridade e integridade são as características mais evidentes dos limpos de coração.

Na Prática: A santidade dos limpos de coração é providenciada por meio de Jesus Cristo. Santidade aqui é uma condição de fé que antecede a ética e a moral. Leia Hb 10: 19,21. Sem essa santidade ninguém verá a Deus. Paulo, ao escrever a Timóteo afirma categoricamente sobre a impossibilidade de se ver a Deus. Leia I Tm 6:16. Então, como podemos ver a Deus? Lembre-se que Jesus é a face humana de Deus e Ele nos ensina que, o “ver a Deus” de forma prática tem a ver com o amor e cuidado ao próximo. Você se lembra do ensino de Jesus do “…a mim o fizestes”? Leia Mt. 25:31-40. Portanto, longe de ser uma experiência mística ou transcendente ver a Jesus, o nosso Deus, se faz no santo serviço ao próximo. Nessa perspectiva quem de nós tem visto a Deus?

Oração:

ESTUDOS DIRIGIDOS 35 – Série: As Bem Aventuranças. “Bem aventurados os que os misericordiosos, porque alcançarão misericórdia.” 6º Estudo

ESTUDOS DIRIGIDOS 35

Série: As Bem Aventuranças. “Bem aventurados os misericordiosos, porque alcançarão misericórdia.” 6º Estudo

Oração:

Texto: Mateus 5:7

Introdução: Nossa jornada pelas ”Bem Aventuranças” nos trouxe até um dos mais desafiadores Princípios Eternos ensinados por Jesus Cristo. Misericórdia é, literalmente, sentir com o coração (cardia) as misérias do outro.
A misericórdia não é uma virtude natural do homem. O homem é por natureza, mau, cruel, egoísta, vingativo, incapaz de exercer uma misericórdia verdadeira.
Naquela manhã, ao pé do monte, estariam alguns romanos, mas a maioria era de judeus que se julgavam espiritualmente superiores, contudo em termos de misericórdia em nada eram melhores que os próprios romanos. Por sua vez para os romanos a misericórdia era um sinal de fraqueza. Em um ambiente onde a misericórdia é mal compreendida ela não tem eficácia.

Para Refletir: Precisamos entender que misericórdia é um atributo de Deus, Deus é misericordioso. Só podemos exercer misericórdia se essa for gerada em nós por Deus através do seu Espírito Santo na medida em que nos relacionamos com Cristo. Leia Lucas 6:36. A misericórdia não é piedade. Ajudar o necessitado sem amor ou por tradição não é misericórdia. Misericórdia é “entrar” no coração do outro sem considerar suas virtudes ou defeitos, sentir sua dor ou necessidade e fazer tudo ao seu alcance para suprir essa necessidade, sem esperar nada em troca por isso.

Na Prática: Para alguém ser misericordioso é necessário sentir o amor pelo próximo. Sem esse amor não existe misericórdia verdadeira. Leia I Jo 4:8. Esse tipo de amor não tem lastro na religião ou no berço. Ele flui de um relacionamento com Cristo e transborda no relacionamento com os homens. Lembre-se do Bom Samaritano. (Lc 10:30-37) Os misericordiosos são aqueles que aprenderam a amar a Jesus de todo o coração no serviço ao necessitado. Geralmente associamos misericórdia à pobreza material, mas um Cristão verdadeiro vê além da situação social. Ele vê pessoas que estão separadas de Deus pelos seus pecados e destinadas ao inferno. Isso o move a testemunhar do amor e sacrifício de Cristo. Ele entende em seu coração que precisa compartilhar seu maior tesouro, a salvação, com outro miserável pecador. Daniel T. Niles disse que a evangelização é representada por “um mendigo contando a outros onde encontrou pão”. Leia Efésios 2:1-3.  Bem aventurados os misericordiosos, porque eles alcançarão misericórdia. Ser misericordioso é ser sensível às pessoas.

Oração:

ESTUDOS DIRIGIDOS 34 – Série: As Bem aventuranças. “Bem aventurados os que os que têm fome e sede de justiça, porque eles serão fartos.” 5º Estudo

ESTUDOS DIRIGIDOS 34

Série: As Bem aventuranças. “Bem aventurados os que os que têm fome e sede de justiça, porque eles serão fartos.” 5º Estudo

Oração:

Texto: Mateus 5:6

Introdução: A justiça de Deus é baseada em valores como misericórdia e amor. Ela está fundada em santidade e é incomparavelmente elevada em relação à justiça humana. Ler Is 64:6. Ter fome e sede da justiça de Deus significa desejar com o mais íntimo do ser, como a maior de todas as necessidades. Você tem sede e fome de justiça? O sentimento que deve antecipar sua resposta deve ser um desejo de se santificar e apresentar sua vida como um sinal do favor de Deus aos homens. Se seu interior tem essa sede e fome você será farto! Aleluia!

Para Refletir: Sentir fome e sede faz parte da natureza humana. Sentir fome e sede de justiça faz parte das demandas inerentes ao caráter cristão. É uma necessidade que só será plenamente satisfeita na busca de um relacionamento baseado na fé em Cristo. Ler Rm 1:17. Pensamos em Justiça mais em termos de punição e condenação, porém a justiça de Deus deve ser entendida dentro dos aspectos da redenção e salvação possibilitadas por Cristo.

Na Prática: Buscai primeiro – Ler Mt 6:33. Faça de sua busca pela justiça de Deus uma prioridade como Jesus ensina. Isso significa que buscar o reino e a justiça de Deus deve ocupar o lugar de prioridade em sua agenda. Nunca aceite qualquer glória – Nosso quinto voto nos exorta a tomar cuidado com a justiça própria! Ela pode vir de modo dissimulado. Travestida de atos de justiça. Não dê aos desejos de seu coração a glória devida a Deus. Sua justiça deve estar submissa à justiça divina. Seus atos, mesmo os mais dignos de louvor entre os homens devem evidenciar a Glória de Deus. Devem mostrar a Jesus Cristo aos homens. Confie, descanse e espere – Você será farto! Quando olhamos para o testemunho dos patriarcas e profetas, que muitas vezes morreram sem ver cumprida a promessa percebemos que Deus invariavelmente cumpre seus planos. Ele não se atrasa. Não se descuida. Ele não muda de ideia. Nossa esperança não se limita a tempos e estações. Ler Apoc 21:1-7. Temos a certeza de que seremos fartos, ainda que momentaneamente não o sintamos, pois é Jesus quem nos garante.

Oração:

ESTUDOS DIRIGIDOS 33 – Série: As Bem aventuranças. “Bem aventurado os mansos” 4º Estudo

Oração: Veja o verso para os motivos de oração dessa semana.

Texto: Mateus 5:5

Introdução: Hoje iremos destacar a mansidão nas bem-aventuranças. Aqui em Mateus nesse momento possivelmente Jesus está fazendo uma alusão ao salmo 37:11. Em um mundo onde o ódio, orgulho e egoísmo estão tão evidentes, falar sobre mansidão é remar contra a maré. Na bíblia vemos dois destaques de pessoas que foram consideradas mansas no seu caminhar. Primeiro Moises (Números 12:3) e o segundo é o nosso maior exemplo Jesus Cristo (Mateus 11:29). Mas o que vem a ser uma pessoa mansa?

Para Refletir: Segundo dicionário Aurélio online mansidão é:  Brando de gênio, pacífico de índole. / Tranquilo, plácido, sossegado./ Domesticado, amansado. / Cultivado, não silvestre. Há quem associe manso a fraco, ou covarde, o que na realidade é um erro. Manso, mais que tudo, é uma das qualidades do Espírito Santo (Gálatas 5:22). A mansidão é uma característica que advém da entrega do nosso ser a Deus. A mansidão não é própria da natureza humana é uma qualidade que se adquiri quando entregamos nossos caminhos a Jesus Cristo. Estamos vendo que toda bem aventurança tem uma recompensa. No caso do manso, o prêmio é herdar a terra. Essa terra não só desrespeito a esse lugar que estamos pisando, mas o reinado eterno do nosso amado Messias Jesus Cristo. Ser cidadão desse reino eterno implica em ter como qualidade do nosso caráter a mansidão.

 

Na Prática: 1º Enxergue a vida sob o ponto de vista de Deus. Muitas vezes o que nos deixa irado é a forma como vemos cada situação. Nossa vida começa a ficar chata ou estressante, porque olhamos para ela a partir desse tempo histórico somente, o agora. Mas é necessário olhar sob a perspectiva de Deus, percebendo que esse tempo que estamos vivendo não se compara com a gloriosa eternidade que experimentaremos na presença do nosso Deus. Afinal somos cidadãos do céu, mas com uma responsabilidade de refletir o caráter desse reino aqui na terra hoje. 2º Ponha em ordem sua vida. As vezes o nosso descontrole que expressa a nossa falta de mansidão, está muito relacionado também com a nossa falta de organização. Vivemos uma vida desregrada, sem disciplina, sempre atrasados com nossas tarefas e horários, culminando num stress, raiva, descontrole emocional e etc. Dessa forma será muito difícil conseguir refletir a mansidão que Jesus nos ensina nessa bem-aventurança. 3º Cultive a humildade. As duas passagens mais importantes sobre a mansidão, está relacionada diretamente com a humildade. Tanto aqui no sermão do monte, quanto em Mateus 11:29. A humildade ou o reconhecimento do senhorio de Cristo na nossa vida, faz enxergarmos a vida de forma diferente, com mais boa vontade para com o próximo, a família, a congregação e etc. Apresente a Jesus para o seu amigo, a partir da qualidade da mansidão que há em você!

Motivos de Oração:

FAMÍLIA

  • Ore pelos seus vizinhos
  • Ore pelos membros da família que ainda não são crentes.
  • Ore por um membro da sua família que está enfermo.
  • Ore pelos seus professores ou do seu filho (a).

IGREJA

  • Ore pelos vizinhos da igreja
  • Ore pelo EXTREME 2016
  • Ore pelo conselho Gestor
  • Ore pelos projetos que a igreja apoia (Cemu, Jovens infratores, igreja Betesda)
  • Ore pelos membros de nossa igreja para que sejam “mansos”.

SOCIEDADE

  • Ore pelo Senado Federal.
  • Ore pelo Juiz Sérgio Moro e toda equipe da Lava-Jato.
  • Ore para que caia por terra a potestade que atua através do Estado Islâmico.
  • Ore para que Deus abra porta para os que estão desempregados.

 

ESTUDOS DIRIGIDOS 32 – Série: As Bem aventuranças. “Bem aventurado os que choram…” 3º Estudo

ESTUDOS DIRIGIDOS 32
Série: As Bem aventuranças. “Bem aventurado os que choram…” 3º Estudo
Oração:
Texto: Mateus 5:4
Introdução: Ao pronunciar a segunda Bem Aventurança, Jesus faz uma afirmação surpreendente. Como alguém que está triste e chorando pode realmente ser feliz? Para os que não conhecem a Deus estas palavras não fazem nenhum sentido. Por mais que vivam sorrindo e se alegrando com as coisas do mundo, eles são, na verdade, infelizes e miseráveis. Não há uma “bem aventurança” para eles, pois não têm consciência do próprio pecado. Acerca deles o próprio Cristo afirma: ” Ai de vós os que agora rides, porque haveis de lamentar e chorar!” Leia Lc.6.25b. Você é uma pessoa que chora por ter consciência de que é um pecador? Qual a última vez que você chorou por que pecou? Você já experimentou a felicidade por se sentir um pecador perdoado e amado por um Deus Santo?
Para Refletir: O sentido dessas palavras de Jesus à luz da elevada ética de Seu Reino é que felizes são aqueles que choram e lamentam ao reconhecer seus próprios pecados. Por iluminação do Espírito Santo o crente consegue olhar para dentro de si mesmo e perceber o quanto ele está em rebeldia contra a Santidade de Deus. Ele reconhece que seu pecado o afasta de Deus e essa consciência provoca em seu íntimo angústia, choro e dor. O homem natural não se sente assim. O homem espiritual reconhece sua miséria e passa a entender que depende do perdão de Cristo. Nossa Bem aventurança ou Felicidade Espiritual está no fato de que fomos iluminados quanto ao nosso pecado, mas ao mesmo tempo fomos alcançados pelo perdão de Jesus. Glória a Deus!
Na Prática: Trate seriamente com o pecado: 1) Se a consciência do pecado não te aflige há algo errado em seu coração. Leia I Jo 1:10 2) Descoberto algum tipo de pecado em sua vida confesse-o e deixe-o. Identifique, nomeie e repudie o pecado. Leia I Jo 1:9 e Prov. 28:13 3) O Espírito Santo se entristece quando o crente peca. Leia Ef 4:30 4) Todos estão sujeitos ao pecado. Leia I Co 10:12,13 5) Não confie em suas próprias forças nem em seu coração Leia Jr 17: 5 e 9 6) Ande em Espírito Leia Gal 5:16. 7) Confie no cuidado e consolo de Jesus Cristo todos os dias. Leia Is. 61:1,2.
Oração:

ESTUDOS DIRIGIDOS 31 – Série: As Bem aventuranças. “Bem aventurado os humildes de espírito” 2º Estudo

Texto: Mateus 5:1-12

Introdução: – Hoje falaremos sobre os humildes de espírito, mas o que vem a ser uma pessoa humilde de espírito? O humilde de espírito é aquele que reconhece que nada tem, nada pode e nada é. Ao se deparar com o Senhor, tem consciência do seu estado espiritual. Trata-se da dependência interior, que reconhece o Senhorio de Cristo. A riqueza, orgulho e arrogância muitas vezes impedem pessoas de desfrutar do privilégio da dependência de Deus. Mas Jesus está dizendo que os cidadãos do reino de Deus são felizes em se submeter ao domínio de Cristo.

Para Refletir: Você se considera uma pessoa humilde de espírito? A imagem que quero apresentar para ilustrar é a de um mendigo, que normalmente possui a roupa do corpo e alguns trapos, ele depende totalmente das ações bondosas do outro. Assim é o pobre de espírito. Quando está diante de Deus, olha para si e percebe que não tem nada e depende totalmente da ação de Deus em seu favor.  Ser pobre de espírito não é uma questão de opção e sim de constatação. Quando se está diante da riqueza da glória de Cristo, não a outra coisa a fazer a não ser nos recolhermos em humildade.

Na Prática: 1º Centralize Cristo no seu coração. Leia Mateus 6:21 – Não há pecado em ser rico materialmente, o problema é quando coloco o amor aos bens e a segurança da minha vida em primeiro lugar. Um grande exercício que devemos fazer é de constantemente resgatar a centralidade de Cristo no nosso coração. Jesus sempre precisa ser a motivação que nos leva a tomar nossas decisões. A nossa riqueza é Cristo. 2º Tenha um encontro diário com Jesus em oração – Leia Mateus 6:9-13 –Uma das formas de externarmos a humildade ou reconhecimento da nossa dependência de Cristo é diariamente separarmos um tempo para a oração. A oração diz muito sobre como está nossa humildade espiritual. Existe uma prática que infelizmente é muito comum na sociedade: “eu só busco a Deus quando estou precisando de alguma coisa”. Essa forma de agir não deve ser uma realidade para nós cristãos, pois a oração nos coloca no lugar correto, a dependência do relacionamento com Cristo. 3º Duas evidências exaltadas pela humildade de espírito.

  • A verdadeira humildade exalta o próximo, Filipenses 2.3-4 – A humildade nada mais é do que a manifestação plena e perfeita do amor cristão, que é amar ao próximo como a si mesmo ao invés de preocupar-se egoisticamente só com seus próprios interesses, Mateus 23.12.
  • A verdadeira humildade exalta a graça de Deus, I Co 15.9-10. – A verdadeira humildade confere à graça de Deus o devido valor quando esta transforma vidas e atitudes.