ESTUDOS DIRIGIDOS 51 – 13° ESTUDO – SÉRIE: SERMÃO DO MONTE – TEXTO BASE: MATEUS 6:10 A Oração Dominical “Portanto, vós orareis assim:…”

ESTUDOS DIRIGIDOS 51

13° ESTUDO – SÉRIE: SERMÃO DO MONTE – TEXTO BASE: MATEUS 6:10

A Oração Dominical “Portanto, vós orareis assim:…”

INTRODUÇÃO: O Reino de Deus é uma realidade atemporal (Mt 25:34). Patriarcas e Profetas, os Heróis da Fé, os discípulos de Jesus, os Mártires da História do Cristianismo e cada crente que professou, professa ou professará sua fé em Cristo Jesus estão listados entre os milhares de milhares chamados cidadãos do Reino de Deus.    .

PARA REFLETIR: O Reino de Deus é uma sociedade, na Terra, onde a vontade de Deus se faz de maneira tão perfeita como no céu. Estar no Reino é obedecer a vontade de Deus. Percebemos que o Reino de Deus não diz respeito a nações, reinos ou países deste mundo. É uma realidade que tem a ver com cada um de nós. O Reino é mais pessoal que local. É mais interior que exterior. O Reino exige a submissão de minhas vontades, de meu modo de vida e de meu coração à vontade soberana e perfeita de Deus. É aceitar essa vontade e dizer a respeito dela: “seja feita a Tua Vontade” com confiança, alegria e gratidão. Do ponto de vista histórico, no entanto, é uma realidade incompleta. Pois o Reino “já” é uma realidade desde a fundação do mundo, mas “ainda não” plena, pois sua consumação é ainda um fato futuro, algo pelo qual devemos orar. Desse modo, já desfrutamos pela Fé em Cristo do pertencimento ao Reino de Deus, mas em contrapartida estamos todos no processo de trazer o Reino de Deus a essa terra por meio da pregação e vivência do Evangelho.

NA PRÁTICA: Pode-se dizer: “Seja feita a Tua vontade” em tom de derrotada, resignação ou ressentimento, pois não nos resta outra alternativa. Mas também se pode dizer “Seja feita a Tua vontade” em perfeito amor e confiança, pois o cristão pode estar totalmente seguro a respeito da sabedoria e do amor de Deus. Deus é o especialista em tudo o que concerne à vida. Como o apóstolo Paulo afirma: “Aquele que não poupou o seu próprio Filho, antes, por todos nós o entregou, porventura, não nos dará graciosamente com ele todas as coisas?” (Romanos 8:32). Ninguém pode contemplar a cruz e duvidar do amor de Deus, e quando temos a certeza do amor de Deus, é fácil dizer: “Seja feita a Tua vontade.”

ESTUDOS DIRIGIDOS 50 – 12° ESTUDO – SÉRIE: SERMÃO DO MONTE – TEXTO BASE: MATEUS 6:9 A Oração Dominical “Portanto, vós orareis assim:…”

ESTUDOS DIRIGIDOS 50

12° ESTUDO – SÉRIE: SERMÃO DO MONTE – TEXTO BASE: MATEUS 6:9

A Oração Dominical “Portanto, vós orareis assim:…”

INTRODUÇÃO: O Pai Nosso é uma oração que Jesus ensinou em resposta ao pedido de um de Seus discípulos (Lc 11:1). Somente um discípulo de Jesus Cristo pode refletir suas palavras, ou seja, somente se pode orar o Pai Nosso quando aquele que ora sabe o significado do que está dizendo e ninguém pode saber o significado de Suas palavras se não for transformado em um filho de Deus. A partir de hoje, veremos ponto a ponto os detalhes dessa oração modelo. “Portanto, vós orareis assim:…”

PARA REFLETIR: Nunca antes alguém havia ousado chamar a Deus de Pai, Jesus o Filho de Deus o faz com total e irrestrita legitimidade. Além disso, para Jesus, Deus não é apenas Seu Pai, mas é o Pai Nosso. Jesus nos convida à comunhão e a aceitarmos a realidade de Seu serviço, que nos torna filhos amados do Pai que está nos céus. Jesus cria a ponte relacional que nos aproxima de uma realidade totalmente exterior a nós, em Cristo fomos reintroduzidos à paternidade do Deus Santo, que cria uma nova família, a família da Fé. Jesus nos ensina nesse primeiro verso, que essa comunidade de filhos deve santificar o Nome do Pai. Santificar o Nome implica em viver de tal maneira que a santidade de Deus se manifeste através de Seus filhos, as atitudes daqueles que chamam a Deus de Pai devem revelar Seu Santo caráter, natureza e personalidade.

NA PRÁTICA: Cristo nos torna filhos de Deus (Gl 4:4,5 e Gl 3:26). Cristo nos dá o direito de sermos filhos de Deus (João 1:12,13). Deus em Cristo nos acolheu (II Co 6:18; Ef 1:5). Seja, portanto, um filho grato, sincero e obediente (Fl 2:15 e Ef 5:1). Mergulhe na realidade do amor reconciliador de Deus (I Jo 3:1,2). Aguarde com fé e esperança na promessa de Deus (Ap 21:7).

ESTUDOS DIRIGIDOS 49 -11° ESTUDO – SÉRIE: SERMÃO DO MONTE – TEXTO BASE: MATEUS 6: 5-8

ESTUDOS DIRIGIDOS 49

11° ESTUDO – SÉRIE: SERMÃO DO MONTE – TEXTO BASE: MATEUS 6: 5-8

 

INTRODUÇÃO: Esforçarmo-nos para andar em santidade de vida é a nossa parte na obra da salvação. A oração é prática fundamental da justiça e a esse respeito Jesus nos ensina duas lições: 1) Evitar a hipocrisia: Jesus não está condenando a oração pública, e sim, a atitude de espetáculo, Deus conhece os corações. Uma oração formal ou que não procede de um coração quebrantado e contrito é detestável aos ouvidos de Deus. 2) Evitar a ostentação: Nenhum povo tratou a oração com tanta prioridade quanto os Judeus, contudo, a oração converteu-se em uma fórmula. Havia práticas diárias obrigatórias, como a repetição de sua confissão de fé. As vãs repetições a que Jesus se refere tornaram-se motivo de orgulho e ostentação, eram orações elaboradas e intermináveis feitas especialmente por religiosos, com a intenção de chamar atenção para si e capitalizar a admiração dos homens.

PARA REFLETIR: O Senhor nos ensina que, ao orar, o nosso objetivo principal é estar a sós com Deus, que o ideal, de fato é que tenhamos um lugar tranquilo e um tempo de prioridade para nossos momentos de oração. Jesus fazia assim constantemente, Ele se afastava dos Seus discípulos para ficar a sós com Deus. Evidentemente o importante para Deus não é o local, e sim a natureza dos motivos e o estado do nosso coração. Os rabinos afirmavam: “Aquele que ora em sua casa, é rodeado por um muro que é mais forte que o ferro.”

NA PRÁTICA: Ore com fé Leia Mt 21:22. Ore sem cessar Leia I Tes 5:17.  Não seja repetitivo Leia Mt 6:7,8. Não guarde mágoas para que sua oração não seja impedida Leia I Tm 2:8 e I Pe 3:7.  Insista em oração Leia Mt 7:7,8. Ore sempre em nome de Jesus Leia Jo 14:13,14. Oremos ao Senhor sabendo que cada um, ao orar, estabelece um canal de comunicação com o nosso Deus, que ouvirá e responderá a cada oração de acordo com a Sua soberana vontade.