ESTUDOS DIRIGIDOS 48-10° ESTUDO – SÉRIE: SERMÃO DO MONTE- TEXTO BASE: MATEUS 6: 2-4

ESTUDOS DIRIGIDOS 48

10° ESTUDO – SÉRIE: SERMÃO DO MONTE- TEXTO BASE: MATEUS 6: 2-4

 

INTRODUÇÃO: Dar esmolas é uma prática da justiça inerente à fé judaica nos dias de Jesus. Ele, no entanto, faz um forte apelo a discrição, à modéstia, à sobriedade e à sensatez religiosa. Alguns ricos e religiosos hipócritas dessa época procuravam capitalizar a admiração e assim, receber louvor dos demais. Jesus propõe a desafetação, despretensão e a espontaneidade no ato de atender ao necessitado e aconselha a dar a esmola em segredo, para que apenas Deus seja testemunha da generosidade.

PARA REFLETIR: Jesus expõe uma maneira para se conter o perigo da auto glorificação, o Senhor não condena o fato de ajudar alguém nas “sinagogas” ou “ruas”, lugares onde pobres e mendigos frequentavam para obter ajuda. Leia Jo 9:1,8 e At 3:2,  Jesus condena as atitudes daqueles que se aproveitam da visibilidade desses lugares e situações para obter glória própria. Os cidadãos do reino dos céus não buscam simples reputação de piedade, mas sim, um caráter verdadeiramente piedoso, cheio de compaixão e amor para com o necessitado.

NA PRÁTICA: Jesus ensina a não sair por aí contando suas virtudes, Ele rejeita as motivações daqueles que usam da sutileza de suas ações para ganhar a admiração e glória dos homens. Um dos grandes males de nossos dias no meio cristão é o narcisismo e uma de suas expressões práticas é o protagonismo, ou seja, a necessidade de colocar as ações em evidência. Para nós cristãos, no entanto, tudo o que fazemos deve resultar em glória a Deus. Devemos nos lembrar da Síndrome de Lúcifer: a tentativa de usurpação da Glória de Deus gera soberba, corrupção e consequente, queda. Leia Is 42:8. Seja generoso pelo motivo correto, leia II Co 9:6,7. Seja sempre generoso com o necessitado, leia  Pv 11:25.  Faça de sua generosidade um culto a Jesus, leia Mt 10:42.

ESTUDOS DIRIGIDOS 47 – 9° ESTUDO – SÉRIE: SERMÃO DO MONTE – TEXTO BASE: MATEUS 6: 1

ESTUDOS DIRIGIDOS 47

9° ESTUDO – SÉRIE: SERMÃO DO MONTE – TEXTO BASE: MATEUS 6: 1

INTRODUÇÃO: O verso de nossa reflexão hoje introduz as instruções de Jesus a respeito da prática da justiça. Dar esmolas, fazer orações e jejuar são práticas daqueles que querem vencer a avareza, manter um relacionamento dialogal com Deus, estar mais sensíveis e dependentes d’Ele. O alerta de Jesus, no entanto, é que essas práticas devem estar dissociadas do orgulho, da vaidade pessoal e da necessidade de receber aprovação ou admiração dos homens.    

 

PARA REFLETIR: Nós humanos somos tão maliciosos que nos servimos até das melhores práticas, intenções para capitalizar a admiração e o aplauso dos demais. Em nossa igreja adotamos os cinco votos propostos por A.W. Tozer, como um norte para nossas práticas. A esse respeito Tozer propõe em seu quinto voto: “nunca aceite qualquer glória”. As mais generosas esmolas ou ofertas podem andar de mãos dadas com a pior forma do egoísmo. O rosto pode estampar a prontidão para o arrependimento, porém o coração pode estar orgulhoso de si mesmo. A oração não pode ser feita como um ato que nos confere méritos, mas sim, um ato da humilde, apresentação de nossas necessidades ao Pai celestial e isso no segredo de nosso quarto.

NA PRÁTICA: “A humildade e não o orgulho é a base da comunhão com Deus.” Leia Mt 11:29. O culto não é feito para impressionar as pessoas. Leia Rm 12:1. Os dons e talentos não são para evidenciar o indivíduo. Leia Rm 12:3. Tudo o que ocorre na prática da vida Cristã deve ser feito para a Glória de Deus. Leia Col 3:17. Não dê aos desejos do seu coração a glória devida a Deus. Leia I Pe 2:1,2. Abandone o materialismo e o mundanismo. Leia Sl 15:1-5. Aprenda a lidar com a admiração, os elogios, não receba e nem transfira glória. Leia Sl 115:1. Não seja um bajulador, não esteja entre os bajuladores, não dê ouvidos a um bajulador.  Leia Rm 16:17,18. Tenha intimidade com Deus. Leia Jr 33:3 e  Mt 6:6.

ESTUDOS DIRIGIDOS 46 – 8° ESTUDO – SÉRIE: SERMÃO DO MONTE – TEXTO BASE: MATEUS 5: 43-48

ESTUDOS DIRIGIDOS 46

8° ESTUDO – SÉRIE: SERMÃO DO MONTE – TEXTO BASE: MATEUS 5: 43-48

INTRODUÇÃO: Você não é obrigado a gostar ou a admirar a absolutamente ninguém, mas você tem a obrigação Cristã de AMAR a todos. Ao corrigir os princípios distorcidos da tradição dos anciãos, Jesus ordena a AMAR e ORAR pelos inimigos e perseguidores, Ele nos exorta que respondamos ao ódio com amor. Amar é querer o bem, ajudar, reconhecer que todas as pessoas, não só os amigos, são objeto do Amor de Deus. Esse é o amor perfeito que provém de um Deus perfeito, que supera o ódio natural que deveríamos sentir pelos nossos inimigos. Essa situação nos ajuda a entender e ver no amor aos adversários, uma das características mais peculiares aos discípulos de Cristo. Amar assim é condição para ser considerado filho do Pai Celeste.

PARA REFLETIR: Essas palavras contundentes de Jesus revelam duas formas de se viver: A primeira é a dos que se comportam naturalmente, que agem em relação aos outros em função da maneira como eles os tratam, sua reação é de fato uma reação. O segundo modo de viver não põe em primeiro lugar um grupo de homens, mas sim o próprio Deus. Deus não reage de acordo com a maneira como O tratamos; ao contrário, “Ele é bom até para os ingratos e os maus” Leia Lc 6:35. Jesus ensina que Deus não se deixa condicionar pela maldade, Ele sempre está pronto a perdoar. O grande desafio do Evangelho é que devemos agir como Deus age. Leia Lc 6:36. É impossível a nós, por nossas próprias forças, cultivar um amor assim. Nenhuma ordem exterior torna isso possível, só a presença de Cristo que é o amor divino em pessoa.

NA PRÁTICA: Seja um filho do Pai Celeste. Produza frutos da Justiça Divina, ande, pense e aja como um filho de Deus. Não reaja às pessoas, mas aja segundo o Espírito Santo que habita em você, cultive o fruto do Espírito. Leia Gl 5:22,23. ““Seja” perfeito como perfeito é o vosso Pai Celestial”. A ideia aqui não é oferecer uma aparência de perfeição aos homens, algo que seria hipocrisia uma vez que somos pecadores e maus por natureza. A ideia é estar aberto ao aperfeiçoamento operado pelo Espírito Santo em nossa jornada Cristã. Leia I Pe 1:15,16. Nesse sentido o ser humano não é perfeito, mas perfectível, ou seja, é um ser aberto à ação transformadora de alguém maior que ele, exterior a ele. “Ser espiritual é cada vez mais ser humano” e nesse sentido nossa real humanidade está em Cristo.  

ESTUDOS DIRIGIDOS 45 – 7° ESTUDO – SÉRIE: SERMÃO DO MONTE – TEXTO BASE: MATEUS 5: 38-42

ESTUDOS DIRIGIDOS 45

7° ESTUDO – SÉRIE: SERMÃO DO MONTE – TEXTO BASE: MATEUS 5: 38-42

INTRODUÇÃO: Jesus faz referência à Lei do Talião: “Ouvistes o que foi dito: Olho por olho, dente por dente”, a lei registrada de forma escrita mais antiga da história da humanidade que, em um primeiro momento parece alimentar um sentimento de vingança. Mas como afirma Dr Shedd: “A intenção dessa lei era de controlar a vingança da pessoa lesada, não podendo ultrapassar a simples retribuição justa e exata”. Jesus, porém, amplia esse sentido e ensina a seus discípulos que o amor deve ir além da justiça, que a retribuição mesmo que justa deve ser substituída por atos de amor, perdão, resignação, mansidão e longanimidade.

 

PARA REFLETIR: Jesus nos ensina que o amor deve se opor ao ódio e esse princípio está registrado em todo o Novo Testamento. Essa nova maneira de olhar o mundo e se relacionar com o outro inaugura a prática do Evangelho. É verdade que não será sem esforço, perdas e muita resignação que cumpriremos o que Jesus nos ordenou. A própria natureza humana nos obriga por ação a retaliar, revidar, vingar e retribuir. As palavras de Jesus, no entanto nos fazem lembrar e perceber que enquanto estivermos mortos em nossos delitos e pecados não cumpriremos essa tarefa que exige a morte do eu, um novo nascimento e uma vida cheia do Espírito Santo. Muitos de nós, crentes há tempos, não entendemos o que Jesus quis dizer sobre “Tomai sobre vós o Meu jugo e aprendei de Mim que sou manso e humilde de coração e encontrareis descanso para as vossas almas. Mateus 11:29”  Tomar o jugo significa andar, agir e reagir como Jesus faria.

NA PRÁTICA: Ame sinceramente. Leia Rm12:9-10. Não se vingue. Leia Rm 12:19. Resolva as demandas contra um irmão na fé dentro do contexto da disciplina Cristã da Igreja. Leia I Co 6:1-6. Sofra o dano. Leia I Co 6:7. Não deixe o “velho homem” ressuscitar. Leia Rm 6:12-14. Enchei-vos do Espírito Santo. Leia Ef 5:18. Embriagar-se da discórdia, dissolução, intriga, fofoca, imoralidade e falta de comunhão no ambiente cristão é uma forte evidência de que o crente não reflete na prática o aprendizado do Evangelho. Um crente cheio do Espírito Santo não se envolve em tais coisas.