ESTUDOS DIRIGIDOS 44 – 6° ESTUDO – SÉRIE: SERMÃO DO MONTE – TEXTO BASE: MATEUS 5: 33-37

ESTUDOS DIRIGIDOS 44

6° ESTUDO – SÉRIE: SERMÃO DO MONTE – TEXTO BASE: MATEUS 5: 33-37

INTRODUÇÃO: A lealdade, a constância de palavra, a firmeza nos compromissos assumidos, deve ser uma qualidade do caráter daquele que serve a Jesus. Se Deus não fosse fiel, nós simplesmente não poderíamos confiar Nele. Os antigos, ao colocar suas tradições em pé de igualdade com a Palavra de Deus revelada através das Escrituras, estavam relativizando essa autoridade e ao mesmo tempo elevando a autoridade das tradições humanas.

 

PARA REFLETIR: O juramento em Nome de Deus só é necessário se a palavra do filho de Deus não merece confiança. Caso mereça, basta sua palavra. Jesus estava combatendo o costume de usar diferentes graus de juramento para se livrar da necessidade de falar a verdade. É como em nossos dias em que as pessoas exclamam: “juro por Deus” como uma forma de autenticar suas afirmações. Se o que dizemos é sempre a verdade, para que jurar? Se nem sempre falamos a verdade estamos desonrando o Nome de Deus ao usá-lo para encobrir a falsidade. Também o exagero e a omissão de detalhes são formas de mentir. Ocultar a verdade quando ela é esperada é a mesma coisa que mentir. O juramento em si não está sendo proibido. Jesus falou sob juramento Leia Mt 26:63. Paulo tomou Deus como testemunha das suas palavras Leia Gal 1:20; 2 Cor 1:23. Somos ordenados a obedecer as autoridades Leia Rom 13:1, o que inclui os tribunais. O ponto é que o Cristão deve guardar como Santo o Nome de Deus, porque é o Nome de Deus. Não somos proibidos de pronunciar este Nome, mas só devemos pronunciá-lo com o respeito e a reverência que lhe são devidos. Isso provém de pessoas que falarão a verdade sempre, com ou sem o Nome de Deus, porque sabem que tudo que falam é testemunhado e um dia será julgado pelo próprio Deus.

NA PRÁTICA: Tenha compromisso com a verdade. Por ir além de um simples “sim ou não” para declarar suas intenções, as pessoas se revelem indignas de confiança, estando, portanto, sob a influência do maligno.  Não seja infiel ou desleal. Honre seus compromissos, mantenha sua palavra. Pague suas contas. Chegue na hora marcada, senão um pouco antes. Não espalhe boatos. Faça uma aliança com seus lábios a respeito da verdade. Leia  Pv 25:19. Não seja filho do diabo. Leia João 8:44.

ESTUDOS DIRIGIDOS 43 – 5° ESTUDO – SÉRIE: SERMÃO DO MONTE – TEXTO BASE: MATEUS 5: 27-32

ESTUDOS DIRIGIDOS 43

5° ESTUDO – SÉRIE: SERMÃO DO MONTE – TEXTO BASE: MATEUS 5: 27-32

INTRODUÇÃO: Dr. Shedd, ao comentar o texto afirma: “Adulterar, para o judeu, observando-se a letra de Ex. 20:14, seria deitar-se com a mulher do seu próximo. Para Jesus, é isto e ainda algo mais. Atendendo ao espírito da Lei e à disposição do coração que leva a cobiçar uma mulher, declara que pensamento impuro é adultério embora não se pratique o ato”.

 

 

PARA REFLETIR: Enquanto seus contemporâneos preocupavam-se com o ato exterior de adultério, Jesus preocupava-se com o ato interior. Além disso, o adultério era tratado como uma espécie de injustiça cometida contra uma propriedade já que o casamento era considerado uma transação comercial. Jesus resgata o verdadeiro sentido de cumplicidade do casamento e coloca o homem e a mulher iguais em dignidade e responsabilidade. Além de transgressão da regra de fidelidade conjugal imposta aos cônjuges pelo contrato matrimonial, o adultério pode se manifestar como abuso e violência física ou emocional, violação à dignidade do cônjuge, desonestidade financeira e modernamente a prática da infidelidade virtual.

 

NA PRÁTICA: Cuidado com a cobiça, Leia Ex 20:17. Tudo começa pelos sentidos, olhos, ouvidos… Caso encontre eco nos desejos, o que a Bíblia chama de concupiscência, será desenvolvido no coração e se consumado, produzirá morte. Leia Tg 1:15. Guarde seu coração, Leia Prov. 4:23. As verdadeiras motivações desejos, segredos e angústias ficam guardados no coração, cabe a nós filtrarmos esses sentimentos para que não encontrem abrigo em nosso coração, Leia Gn 4:7. Fuja das paixões carnais Leia II Tm 2:22. Nunca pense que você é forte o suficiente para resistir à tentação carnal. A Bíblia manda fugir porque os hormônios não são convertidos e a punção sexual é uma força visceral. Cuidado com o mundo virtual. Leia Salmo 101:3. O mundo virtual oferece um suposto sigilo que faz com que seus usuários se arrisquem, além disso, imagens de cunho sexual são oferecidas muito facilmente. Faça uma aliança com seus olhos, Leia Jó 31:1. Deixe no passado relacionamentos passados. As redes reaproximaram amigos, parentes, conhecidos distantes, mas também reaproximam antigos namorados e afetos. CUIDADO! A mecânica sempre é a mesma. Carência afetiva e solidão têm sido usados como justificativa para aventuras virtuais que se tornam quase invariavelmente físicas.  Vaidade, narcisismo, hedonismo e cobiça, estão entre os fatores que desencadeiam a traição. Finalmente, ame seu cônjuge e ame seu próximo. Leia Rm 13:9 e seja Santo Leia I Pe 1:16. A ordem é VIGIAR.           

ESTUDOS DIRIGIDOS 42 – 4° ESTUDO – SÉRIE: SERMÃO DO MONTE – TEXTO BASE: MATEUS 5: 21-26

ESTUDOS DIRIGIDOS 42

4° ESTUDO – SÉRIE: SERMÃO DO MONTE – TEXTO BASE: MATEUS 5: 21-26

INTRODUÇÃO: Após confirmar a lei, Jesus passa a ensinar uma justiça que excede a dos escribas e fariseus, Ele cita o Sexto Mandamento Êx 20:13 e resume a pena por sua transgressão Êx 21:12; Lv 24:17. Jesus compara o ódio ao assassinato, quem odeia o seu próximo diante de Deus já pecou, mesmo que esse ódio não seja exteriorizado em uma ação ofensiva.

PARA REFLETIR: Fica evidente que a intenção do coração equivale à ação e Jesus levou essa questão para um nível mais profundo. Muitas vezes, o propósito das palavras ásperas é despertar sentimentos negativos na vítima. A lição de Jesus foi: “Não apenas aqueles que matam são culpados de assassinato, mas também os que falam palavras rudes estão sujeitos ao inferno”. Jesus invoca a imagem do ‘Vale de Hinom’, um vale profundo ao sul de Jerusalém, que se tornou o local onde era depositado todo o lixo, carcaças de animais e até os corpos de criminosos executados para serem queimados. O fogo e a fumaça constantes, além dos vermes e o forte odor, criaram o símbolo do castigo eterno.

NA PRÁTICA: Assassinar é algo que se faz concretamente, o que leva ao julgamento perante os homens, mas rancor é algo que se faz no coração e tribunal humano algum julga alguém por ter ficado irado. A ira se torna pecado quando é sem um motivo justo ou se prolonga além do necessário. Leia Ef 4:26. Jesus, contudo diz que até aquilo que se faz no coração será levado a julgamento diante de Deus. Ele nos ensina que não adianta dizer que amamos a Deus com nossa adoração, se não estivermos bem com nossos irmãos. Leia 1ª Jo 3:15. Jesus está dizendo que não podemos ofender Leia Mt 5:22. Ele está dizendo que devemos buscar a paz. Leia M 5: 23, 24. Jesus nos exorta a tomar a iniciativa e nos reconciliarmos antes de ir para o altar prestar nosso culto, Deus não aceita culto e ofertas de quem guarda ódio ou mágoas no coração. Amados irmãos, nosso maior valor é a comunhão! Jesus não se sacrificou para que tivéssemos um belo prédio, mas sim para que tivéssemos uma bela comunhão com Deus e uns com os outros. Portanto, façamos todo esforço necessário para vivermos em paz e harmonia, em sublime comunhão e afeto, relevando as ofensas, perdoando e promovendo o perdão.

ESTUDOS DIRIGIDOS 41 – 3° ESTUDO – SÉRIE: SERMÃO DO MONTE – TEXTO BASE: MATEUS 5: 17-20

ESTUDOS DIRIGIDOS 41

3° ESTUDO – SÉRIE: SERMÃO DO MONTE – TEXTO BASE: MATEUS 5: 17-20

INTRODUÇÃO: Os Escribas eram os encarregados de copiar, preservar e fazer comentários sobre “a lei e os profetas”. Os fariseus eram pessoas de grande rigor em sua vida religiosa. Esses religiosos criaram em volta dos mandamentos de Deus o que chamaram de “a tradição dos anciãos”, acréscimos que lhes garantiriam a observância da Lei. Para eles, Jesus era um transgressor da Lei, pois não se preocupava com dias, cerimônias e, além disso, convidava a todo o tipo de pecadores a virem a Ele.

PARA REFLETIR: Havia um total de 613 mandamentos, sendo 248 positivos que corresponderiam a um “faça” para cada um dos ossos do corpo e 365 negativos, ou seja, um “não” para cada dia do ano. Se você os guardasse seria uma pessoa “perfeita”.

NA PRÁTICA: 1º – Jesus não veio anular a Lei, mas cumpri-la. Essa palavra, “cumprir”, significa “manifestá-la em toda a sua plenitude”. Jesus cumpriu a Lei, primeiramente porque ele sempre, em tudo o que fez, obedeceu à lei do Senhor. 2º – Jesus cumpriu a Lei porque mesmo sendo sem pecado, ele morreu de acordo com a Lei como se fosse um pecador, para levar sobre si o castigo pelos nossos pecados. Desta maneira ele satisfez a justiça da Lei que dizia que o salário do pecado é a morte. 3º – Jesus trouxe a Lei à sua plenitude ao ensinar a compreender o significado dela. Ele nos mostra que a Lei do Senhor é muito mais profunda do que os escribas e fariseus supunham, pois ela nos mostra a vontade de Deus como algo a ser obedecido, antes de tudo, em nosso coração; mas ela também nos mostra que somos pecadores desde o coração, e que o único caminho para sermos aceitáveis a Deus é o perdão gracioso, acompanhado de uma transformação espiritual, de um novo coração, isto é, do arrependimento, da conversão, que nos transforma de modo que aí sim, podemos obedecer aos mandamentos.

ESTUDOS DIRIGIDOS 40 SÉRIE: 2º ESTUDO – SÉRIE: SERMÃO DO MONTE

ESTUDOS DIRIGIDOS 40

2° ESTUDO – SÉRIE: SERMÃO DO MONTE – TEXTO BASE: MATEUS 5: 14, 16
INTRODUÇÃO: A função da luz é revelar, evidenciar, porém, para que nossa luz brilhe, primeiro precisamos que a luz de Deus brilhe sobre os lugares escuros do nosso coração, trazendo à tona todo pecado oculto e toda impureza escondida. Esse é um processo doloroso. Enxergar verdades a nosso respeito é um dos mais difíceis exercícios da alma, Deus traz à luz o que precisa ser transformado para que a luz que há em nós seja a expressão d’Ele próprio. Leia Jo 8:12, isso significa que aquele que anda iluminado por Cristo expressa vida. Leia II Co 4:6.
PARA REFLETIR: Nossa luz procede de Cristo, uma vez iluminados devemos cumprir o propósito para o qual Deus fez brilhar a luz de Cristo em nós. Por isso Jesus é tão enfático ao dizer que o cristão não pode se esconder, assim como não se pode esconder uma cidade sobre uma montanha, isso fala da visibilidade inata aquele que professa O Nome de Cristo. Jesus também toma emprestado o uso simbólico da palavra “alqueire” com a ideia básica de tirar o que está oculto debaixo, o que está no interior para demonstrar que o tesouro do Evangelho tem uso próprio e não deve estar oculto, restrito a sociedades ou grupos, mas deve estar visível, disponível. Isso fala da acessibilidade a Cristo por meio de Seus discípulos.
NA PRÁTICA: Como ser luz? Leia e medite na Palavra de Deus Leia Sl 119:105. Ore a Deus e peça um olhar bom, santificado, rejeite todo tipo de travas em sua vida Leia Lc 11:34. Viva a vocação cristã de ser sacerdócio real e santo, pois fomos retirados das trevas. Leia IPe 2:9. Procure, através de uma vida piedosa mostrar a luz de Cristo aos homens. Influencie o meio em que você atua através da luz do Evangelho. Ilumine o mundo que está em trevas com a luz da Palavra que está em você.